Enquanto muitos motoristas ainda se desdobram para tentar pagar o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) de 2018, outros 351.629 estão tendo uma dor de cabeça a mais este ano. Essa é a quantidade de pessoas que não acertaram as contas com a Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz) em 2017, o que corresponde a 18% da frota tributável da Bahia. Em 2016, a inadimplência era de 13%.

A Sefaz afirmou que, apesar de ter crescido a quantidade de motoristas que não pagaram o imposto, o percentual ainda é considerado dentro da normalidade. O órgão lembrou que os contribuintes têm a opção de parcelar o imposto para evitar deixar o débito em aberto. Este ano, 97.135 motoristas baianos optaram por essa forma de pagamento.

Já o valor da dívida atrasada do IPVA pode ter parcelado em até 60 vezes, desde que o valor mínimo de cada parcela seja de R$ 120. Não pagar o débito implica em punições.

O IPVA é um imposto anual cobrado sobre os veículos, novos e antigos. Na prática, quase todos precisam pagar. O valor cobrado sobre carros, caminhões, ônibus e motocicletas novos é definido com base na nota fiscal da compra desses veículos. No caso dos mais antigos, o imposto é estabelecido com base na tabela da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

Na Bahia, 1.952.503 veículos terão que pagar o IPVA em 2018. São 1,1 milhão de automóveis, 419 mil motocicletas, 313 mil utilitários, 68 mil caminhões e 21 mil ônibus.

Correio24horas