O governo federal cedeu e decidiu congelar por 60 dias a redução do preço do diesel na bomba em R$ 0,46 por litro. A proposta foi anunciada na noite deste domingo (27), pelo presidente Michel Temer, que fez um pronunciamento depois de um dia inteiro de negociações no Palácio do Planalto. isso significa, segundo o presidente, zerar as alíquotas da Cide e do PIS/Cofins.

Os representantes dos caminhoneiros autônomos não aceitaram o congelamento do diesel por apenas 30 dias, como havia sido inicialmente proposto. O governo federal concordou ainda em eliminar a cobrança do pedágio dos eixos suspensos dos caminhões em todo o país, além de estabelecer um valor mínimo para o frete rodoviário.

Essas determinações deverão constar em medidas provisórias a serem publicadas em edição extra no Diário Oficial da União. A expectativa do Palácio do Planalto é que a paralisação, que já dura sete dias e causa enormes prejuízos e transtornos em todo o país, termine logo.

Como quem não chora não mama, os preços dos demais combustíveis serão mantidos em alta, os preços da Gasolina e do Etanol, não serão reduzidos e provavelmente continuarão subindo nos próximos dias, o que poderá ocorrer manifestações, desta vez da população em geral contra o governo, na tentativa de pressiona-lo, para que se tome providências e reduza imediatamente os preços da gasolina e etanol, pois o preço alto, afeta diretamente o orçamento mensal das famílias brasileiras.

Em apenas 1 ano o preço da gasolina foi alterado em pelo menos 12 vezes, tendo um aumento de cerca de 55 %, toda população e principalmente os taxistas e mototaxistas sofrem com esses aumentos e aguardam providências do governo, muitos já ameaçam ir as ruas.